O famoso dia 13 na sexta-feira

Olá leitores.

Hoje é sexta-feira, mas não é sexta-feira 13. Triste? Na verdade… não.

Imagem

Eu estava lendo algumas coisas sobre outras coisas que sequer poderiam ter algo em comum com o aclamado e temido dia 13 na sexta-feira, e achei interessante dar uma revisadinha sobre o assunto e publicar algo relacionado aqui.

Bom, não querendo ser direto ao ponto mas já sendo, sexta-feira 13 nada tem a ver com halloween ou com fantasmas, bruxas e derivados.

Como todos que costumam acompanhar o blog sabem, eu apenas dou as minhas opiniões sobre o que foi lido e/ou estudado por mim, não sou nenhum grande pesquisador ou grande pensador a fim de lhes proporcionar conhecimento através do que aqui for postado, mas sim de criticar certas coisas e difundir opiniões, por isso comentários são sempre bem-vindos e respondidos caso haja necessidade.

Há muitas crenças e crendices que dizem respeito à sexta-feira 13, tais como Jesus ter sido perseguido por essa data por ter sido crucificado numa sexta-feira e por um dia antes ter feito uma ceia com no total 13 participantes, ele e seus discípulos.
Também há várias outras não tão famosas quanto esta recém citada, como uma história de origem nórdica onde o deus Odin realizou uma reunião com outras 12 divindades sem ter convidado Loki, deus da discórdia e do fogo, o que resultou na morte de Balder que era uma divindade importante conhecida, causando a ideia de que a reunião de 13 pessoas não terminaria bem.

Fora essas estórias, há uma outra que mais me chamou atenção.

Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, popularmente conhecida como os Cavaleiros Templários, é a que mais deu sentido à coisa para mim.

Talvez você que está lendo esta publicação agora saiba um pouco sobre eles, ou talvez não saiba, enfim… vou falar alguma coisa que extraí por aí (corrija-me se eu estiver errado).

A Ordem dos Cavaleiros Templários foi inicialmente criada por uma fraternidade secreta chamada O Priorado de Sião (ok, não é mais secreta), que foi fundada em Jerusalém no ano de 1099 por um rei francês chamado Godofredo de Bouillon, com o intuito de manter a salvo um poderoso segredo mantido por sua família desde os tempos de Cristo.
O Priorado de Sião ficou sabendo de certos documentos escondidos sob a ruína do Templo de Salomão que causariam um abalo gigantesco se divulgados e que a igreja faria de tudo para colocar as mãos neles. Logo esses documentos precisariam ser encontrados e mantidos em segredo para que a verdade nunca morresse durante as gerações, daí é que entram os Cavaleiros Templários.

Os Cavaleiros Templários tinham uma missão que os faziam seres de bem e apoiados por certo público popular, proteger os peregrinos cristãos na Terra Santa.
Mas a verdade não era essa, pois o seu verdadeiro objetivo era encontrar os documentos perdidos nas ruínas do Templo de Salomão, na Terra Santa.
Os Cavaleiros Templários residiram naquelas ruínas durante quase uma década, a fim de localizar os tão desejados documentos que eles acreditavam estar enterrados o mais fundo possível sob as ruínas, abaixo de uma câmera sagrada onde os judeus acreditavam residir o próprio Deus.

Saibam que eles encontraram algo, mas algo que até a própria história desconhece.
Eles foram de encontro ao Vaticano, na Europa, onde começaram a ficar mais e mais influentes da noite para o dia.

Lá pelo século XIV é que a tragédia que resultou na fama da Sexta-feira 13 aconteceu.
O Papa Clemente V estava indignado com tamanho poder dos templários que decidiu juntar-se ao Rei Filipe IV da França, a fim de tomar posse de seus tesouros e assumir o comando dos segredos que mantinham o Vaticano refém dos templários.
O Papa Clemente enviou uma ordem lacrada em envelopes para todos os seus soldados em toda a Europa no dia 13 de outubro de 1307, numa sexta-feira.
A Carta então afirmava que o papa havia tido uma visão de Deus afirmando que os templários eram hereges que cultivavam o amor ao demônio e ao homossexualismo, desrespeitavam a cruz e tinham outros comportamentos blasfemos.
A ordem aos soldados franceses era clara: caçar, reunir e torturar todos os templários até que confessassem seus crimes contra Deus.

Daí então vem a tão renomada Sexta-feira 13, onde inúmeros templários foram torturados, mortos e queimados na fogueira como hereges, o que fez com que essa data fosse considerada dia do azar.

Bom galera, ta aí um pouco de história que vale a pena ficar sabendo. Nunca neguem conhecimento.

Até o próximo post…
See Ya! (por que é que eu sempre escrevo isso mesmo?)

Anúncios